Esse site utiliza JavaScript para algumas funções.
Ir para o conteúdo

Turma do Jiló investe em projeto acessível em SP

19 ● setembro ● 2018

A Turma do Jiló, que investe em subsídios para inclusão em salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE), fez uma parceria com a arquiteta Fernanda Velloso para adaptar o Colégio Municipal Profª Benedita Odette de Morais Savóia, localizado em Santana de Parnaíba. As ações já começaram a entrar nos moldes necessários com a reforma completa da sala de educação especial. O projeto conta com o apoio de Gimba, Lock Engenharia, Casa Fortaleza e Collectania.

 

A proposta da parceria entre a Turma do Jiló e a arquiteta é transformar o espaço em um ambiente acolhedor e favorável. Nas salas serão oferecidas atividades aliadas a movimentos, cores, texturas e luzes para produzir sensações que provoquem estímulos, e que possibilitem o cérebro melhorar sua eficiência e funcionamento em maior amplitude.

 

Nos três espaços – área do movimento físico, área dos jogos e estudo, e área do relax e sensações – terão jogos, brincadeiras e atividades sensoriais que estimulam a inteligência, ajudam na criatividade e permitem que os alunos aprendam melhor, pois terão um desenvolvimento cognitivo, linguístico, social e emocional.

 

O foco desse projeto da Turma do Jiló são as crianças, porém, contribuir com a formação adaptada beneficia toda a comunidade envolvida. Com nosso programa e serviços de educação inclusiva que visa à melhoria na vida escolar pode ajudar alunos, familiares, professores e as pessoas que convivem direta ou indiretamente com as crianças deficientes.

 

Considerando que as crianças estão no topo de suas prioridades, a Associação Social Sem Fins Lucrativos tem a intenção de garantir profissionais treinados e qualificados, espaços físicos acessíveis ou materiais adaptados.

 

O AEE caracteriza-se em salas multifuncionais e sensoriais, com o intuito de proporcionar um modelo de ensino complementar ao ensino regular das escolas. Contempla um conjunto de atividades e recursos de acessibilidade e pedagógicos, para atender alunos com algum tipo de necessidade especial.

 

Com esse método de complemento escolar acessível é possível eliminar as barreiras de um aluno com algum tipo de deficiência para garantir sua plena participação na sociedade, o desenvolvimento de sua aprendizagem e autonomia. Apesar de ser obrigatório o Estado garantir o AEE às pessoas com deficiência, a maior parte das escolas não dispõe do espaço e arquitetura adaptados, como a iluminação e decoração personalizadas, e divisão de ambientes.